segunda-feira, outubro 15, 2012

O cerco ao Parlamento


ideia retirada de uma manifestação em Espanha há uns dias, fez as redes sociais caudalizarem, de novo, para a escadaria do parlamento algumas centenas de jovens. Chegado há pouco, estacionei o carro e desci a rua até eles, gente jovens, pacifica, animada por cantigas de Zeca Afonso, divertida e atenta aos foliões mais afoitos que lançavam petardos e faziam fogueiras mesmo em frente às forças policiais na escadaria principal. São, todavia, jovens à rasca, à rasca com as dificuldades do momento, o desemprego,  a precaridade, a insegurança do presente e, sobretudo, o medo do futuro e é para eles que todos temos que ajudar a encontrar respostas.
 Há contudo, bem expressa na barraquinha de comes e bebes que lá foi instalada, uma certa utopia de igualitarismo social que, infelizmente, não faz parte dos nossos tempo cruel e implacável. Vivemos, pois, um tempo péssimo, pena que seja logo o nosso. Mais que felicidade, hoje, a palavra mágica, é esperança.


João Paulo Pedrosa