segunda-feira, maio 23, 2011

Sem escrúpulos

No dia em que uma sondagem vem dar o PSD à frente, Passos Coelho demonstra ao país os truques da sua acção política e a ausência de qualidades públicas para o exercício da função. Efectivamente, o caso das nomeações, atoarda levantada hoje, é disso o exemplo mais acabado. 
Na administração pública os funcionários são objecto de concursos que não se compadecem, obviamente, com os calendários eleitorais. Em face disso, em excesso de zelo, diga-se, desde já com clareza, o governo deu instruções para que esses concursos não culminassem em nomeações, já que o próximo governo poderia querer vir a alterar o sentido das mesmas.
Com a investida de Passos Coelho a transparência transforma-se em opacidade, a seriedade em falcatrua, o escrúpulo público na falta de escrúpulos. O Rei Midas em tudo o que tocava transformava em ouro, Passos Coelho parece que é em lama.
Assim, não vai longe.


João Paulo Pedrosa