sábado, julho 31, 2010

O filho do Cristiano Ronaldo

deu origem a estafada polémica, pelo recurso à maternidade de substituição, com os patrulheiros do costume a não perderam tempo a vergastar-nos com a ideia, mirífica, de que toda a criança precisa de um pai e de uma mãe, constituindo isso, no conjunto, um modelo perfeito de família.
Pois, nada mais falso! Uma criança precisa é de alguém que lhe dê um projecto de vida.

Há "pais" e "mães" abomináveis, abjectos e repugnantes a merecer todo o tipo de sevícias pelo uso de tão nobre e responsabilizante estatuto, pois não apresentam qualquer tipo de competência para criar filhos já que, muitos deles, os negligenciam e maltratam no seio familiar.

Projectos de vida podem, portanto, ser dados por pais e mães (é claro e óbvio, poupem-nos a estas evidências que temos que enunciar como se fossemos néscios), mas também por avós, por tios, por primos, por adoptantes, só por mães ou só por pais individualmente, no essencial, um projecto de vida para uma criança é (talvez) a maior responsabilidade civilizacional que recai sobre cada um de nós, é por isso que não deve estar ao alcance de todos, nem tão pouco acometida ao exclusivo domínio de modelos de organização familiar que umas vezes resultam e outras não. Dar um projecto de vida a uma criança é também tarefa para a cidadania, homens e mulheres que têm nas suas mãos e à sua responsabilidade o mundo e o coração. Ter consciência disso é meio caminho para nascerem mais crianças felizes e mais Pais também...

Não sei quanto pagou Cristiano Ronaldo, estou em crer que ele também é fiel àquela velha máxima africana que nos diz, "ser rico é ter filhos".






João Paulo Pedrosa