quarta-feira, abril 28, 2010

Vade retro

Francisco Louçã, nem num momento de sobressalto geral, é capaz de um gesto patriótico. Quando o país está a ser atacado internacionalmente pelos especuladores financeiros, Louçã reforça as suas tiradas populistas e demagógicas. Afinal, ainda não foi desta que comunicou ao país que vivemos momentos de dificuldades e que nem tudo é simples e fácil como costuma propalar.
Na minha modesta opinião, para a democracia parlamentar, é a pior e mais perigosa personalidade política que vimos aparecer nos últimos (muitos mesmo) anos.



João Paulo Pedrosa