sexta-feira, setembro 26, 2008

Decisões que comprometem o futuro

O anterior executivo do PS deixou à actual maioria PCP/PSD um projecto completo para a execução da variante Nascente já com a identificação do caderno de expropriações e ainda o traçado - elaborado pela Universidade de Coimbra - de mais duas variantes, Poente e Nascente Sul. Durante 3 anos a actual maioria não fez nada!
Todos sabemos que uma variante é um investimento caro e que só com recurso a fundos comunitários é possível construi-las. Portanto, durante 3 anos a actual maioria PCP/PSD teve possibilidades de preparar o processo para agora candidatar ao programa de variantes do QREN. Ora, acontece que durante este 3 anos nada aconteceu. Não negociaram nem pagaram as expropriações, nem sequer prepararam o projecto para candidatar ao QREN. Mas como o frenesim das eleições se aproxima, na semana passada apresentaram na reunião um pequeno troço da variante, dizendo que lhe fizeram alterações, ou seja, aumentaram os custos do projecto, colocando rotundas nos cruzamentos (não vejo nada contra o problema são os custos que não estavam sequer quantificados).
É evidente que com os procedimentos legais e administrativos que são necessários, o fraccionamento da despesa que é manifestamente ilegal ( a variante construída pela totalidade obrigaria certamente a concurso público internacional e assim será apenas concurso público), não há tempo de fazer nada deste processo até às eleições, como julgam estes protagonistas políticos. Todavia, este processo está todo errado e, a continuar assim, dificilmente o próximo executivo municipal vai poder corrigir, a tempo, as asneiras.
Na verdade, há no âmbito do QREN um programa especifico para Variantes, mas a actual maioria, ao fraccionar a obra em várias pequenas "estraditas", não permite a candidatura a esse programa. Resta então a contratualização, isto é, o plafond limitado que a câmara pode ir buscar ao QREN.
Resumindo, não vão buscar dinheiro ao programa das variantes, e na contratualização impedem o financiamento de outras obras fundamentais para o desenvolvimento do concelho. Nenhum pássaro na mão e dois que já voaram.
Este executivo municipal é mau não só para este mandato de 4 anos em que não fizeram rigorosamente nada, é mau também por tudo de negativo que condiciona para os mandatos seguintes.
A Marinha Grande vai levar muitos anos a recuperar do atraso que resulta da incapacidade e da incompetência destes protagonistas políticos. Esta é uma triste realidade, infelizmente.


João Paulo Pedrosa

quarta-feira, setembro 24, 2008

Imposto Municipal sobre Imóveis

O porta-voz da moribunda coligação PCP/PSD, sr Luis Marques, presidente da assembleia municipal, anda há que tempos a zurzir no primeiro-ministro, José Sócrates, por pretender baixar o IMI e por esta ser, consequentemente, uma receita municipal.
Perante isto, qual não foi o nosso espanto quando, na última reunião de câmara, é justamente da coligação PCP/PSD que vem a proposta de redução do IMI, com a agravante de, na Marinha Grande, não se terem constatado os aumentos de receita que ocorreram noutros concelhos, essa sim a razão fundamentada para fazer baixar este imposto.
Nunca nenhuma câmara municipal se propõe diminuir as suas receitas, a não ser que não tenha destino a dar-lhe, mas é justamente isso que nos parece estar a acontecer na Marinha Grande. Se assim é, alivie-se então ainda mais a carga fiscal dos contribuintes, Foi justamente isso que fizemos numa proposta rejeitada pela maioria PCP/PSD.

Proposta dos Vereadores do PS

O sr presidente da Câmara propõe-nos a redução do IMI de 0,8 para 0.75 e de 0,4 para 0,35 para o ano de 2009. Ora, sabendo que as alterações que se verificaram no cálculo deste imposto determinaram, em algumas câmaras, aumentos que ultrapassaram os 40% de receita líquida global, compreende-se que haja ajustamentos na taxa. Ora, acontece que isso não se verificou no concelho da Marinha Grande, onde a receita é praticamente a mesma e o aumento se cifrou em apenas 5%. Portanto, o volume de receita tem-se mantido mais ou menos inalterado.
Assim sendo, ao proporem-nos agora a redução dos valores a cobrar, só podemos concluir que a actual maioria PCP/PSD não precisa da receita para a execução de obras ou para projectar os investimentos no concelho. Se isso é verdade (até porque não acreditamos que baixem as taxas agora por razões eleitoralistas) não se devem sobrecarregar os munícipes quando não há estratégia nem destino a dar aos impostos que se cobram.
Em face disto, os vereadores do PS propõem então uma redução mais substancial, aliviando a carga fiscal dos marinhenses, já que não vale a pena retirar dinheiro às pessoas com impostos, se não se tem um destino a dar-lhe.
Propomos então uma redução de 0,8 para 0,7 e de 0,4 para 0,3, respectivamente.

Os Vereadores do PS

João Paulo Pedrosa
José Lebre Grácio

(Esta proposta foi rejeitada com os votos da coligação PCP/PSD)



João Paulo Pedrosa

terça-feira, setembro 23, 2008

Tem pai que é cego


A coligação PCP/PSD julgam-se muito esperto e, consequentemente, consideram todos os outros burros. Vem isto a propósito da TUMG.

Como é sabido, os vereadores do PS vêm reclamando, há quase 3 anos, a entrada em funcionamento de uma linha de transportes urbanos prioritária na cidade que envolva os 3 mini bus adquiridos ainda no anterior mandato para esse efeito. A actual maioria tem vindo a protelar essa decisão com base, dizem, num estudo de mobilidade que mandaram efectuar para esse efeito. Ora, finalmente, o estudo chegou ao conhecimento dos vereadores do PS e qual não é o nosso espanto quando verificamos que encomendaram um estudo não para os 3 mini-bus existentes, mas para 12 mini-bus, 8 mini-bus ou 6 mini-bus que, como é sabido a câmara não tem.

Conclusão de tão brilhantes pensadores, "não podemos fazer transportes urbanos na Marinha Grande porque só temos 3 mini-bus".


Assim vai a gestão desta maioria PCP/PSD, gastam dinheiro para fazer estudos sobre uma realidade que não temos e não sabemos nada sobre o que temos. Bonito, sim senhor!






João Paulo Pedrosa

sexta-feira, setembro 19, 2008

O capataz perdeu a picareta (III)

Onrem acusei Artur Oliveira de andar há 3 anos a anunciar a construção de variantes e até hoje ainda não ter feito nada.

Resposta do acusado, para a acta:

"Não é verdade ter andado a declarar todas as semanas que ia construir a variante, é verdade que de vez em quando e não sei quando que tinha dito que a variante tinha o seu início".

Digam lá que não vão ter saudades... agora que o PSD anunciou que já não o quer, estava capaz de subscrever um movimento popular peticionário para o incluir na lista da PCP.



João Paulo Pedrosa

segunda-feira, setembro 15, 2008

Prossegue a campanha de destruição da cidade

A coligação PCP/PSD vai de iniciativa em iniciativa (salvo seja) contribuindo para destruir tudo o que há de bom na cidade.

Primeiro abandonaram a transferência para o Mercado Municipal novo, para o instalarem em tendas ao melhor estilo dos países do terceiro mundo;
Depois decidiram instalar 30 mil metros de armazéns nas antigas instalações da IVIMA para lançarem o caos no transito da cidade e infernizarem a vida às pessoas que todos os dias ali têm que circular;
Agora é a vergonha que se vê na foto.
Ou seja, uma câmara que não apoia nem incentiva o comércio local, uma câmara que nestes três anos de mandato reduziu sistematicamente o apoio às iniciativas da associação do sector, uma câmara que exige pagamento de água e luz a quem tem um estabelecimento comercial devidamente legalizado mas dá-a de borla a todos os que pretendem instalar-se no miserável "mercado das tendas", só faltava agora vir autorizar a instalação de um horrível painel a mandar os marinhenses a ir fazer compras a Leiria. Aonde é que isto vai chegar...



João Paulo Pedrosa

quinta-feira, setembro 11, 2008

11 de Setembro 1973..... Nunca esquecer!!!


Passados 35 anos...
Também não esquecemos o golpe de estado de 1973, no Chile... que derrubou o presidente eleito, o democrata Salvador Allende...
Esta imagem da BBC mostra o cerco ao Palácio presidencial de la Moneda, em Santiago, capital do Chile, no início do seu bombardeamento por meios aéreos e artilharia...
Milhares de democratas, socialistas, comunistas e de outras áreas progressistas foram encerrados no estádio de futebol e dali partiram para a morte ou para as prisões do general fascista, Pinochet...
E claro figuras da cultura foram torturados e humilados à frente dos seus camaradas...um de entre muitos, o cantor Victor Jara,a quem partiram as mãos e finalmente mataram a sangue frio.
Sim,passaram 35 anos, mas nunca podemos olvidar.
Osvaldo Castro

11 de Setembro 2001..... Nunca esquecer!!!


Sete anos passados...
Não saem da retina as imagens do ódio traiçoeiro e do desrespeito pelos seres humanos.
Não mais podemos esquecer!
Osvaldo Castro

O capataz perdeu a picareta (II)

Não têm conta as vezes que na reunião de câmara nos temos insurgido contra o vergonhoso espectaculo que é o processo de semaforização da Avenida José Gregório. Em todas as reuniões Artur Oliveira faz uns rabiscos no papel, presumo que esteja a tomar notas, mas a verdade é que passados alguns meses continua tudo na mesma. Uma vergonha e um perigo para a circulação viária. Semáforos mal sincronizados, erradamente estruturados, sinalização horizontal que é uma manta de retalhos tal é a confusão indicações apagadas e indicações pintadas. Um perigo eminente para quem ali circula. Em caso de acidente grave ou tragédia humana (esperamos e desejamos que não aconteça) só a este executivo PCP/PSD podem ser imputadas culpas, tal a irresponsabilidade e incompetência com que têm tratado este assunto.


João Paulo Pedrosa

O capataz perdeu a picareta (I)

Questionado, na reunião de câmara, sobre a razão da construção de uma aberrante lomba na Avenida Victor Gallo (junto à rotunda do vidreiro), Artur Oliveira respondeu:
-"Estou tão surpreendido quanto vocês, não sei de nada!".
É caso para dizer que a actividade é tão baixa que até Deus ajuda a fazer aparecer obras.


João Paulo Pedrosa

sábado, setembro 06, 2008

E OS VEADOS, POR VEZES, VINGAM-SE...!

video

A Sarah Palin e outros valentes que se cuidem, na América até os veados estão fartos de ser maltratados...!

Osvaldo Castro

A Caçadora de Alces...e Veados


Sarah Palin, candidata republicana a Vice-Presidente dos EUA, dizem, é uma prendada atiradora de caça grossa, designadamente de alces...É também uma fervorosa adepta de armas e do seu uso livre e indiscriminado...
Também por isso, os alces e os veados, coitados, vão sofrendo...até ao dia em que se vinguem.
Osvaldo Castro

sexta-feira, setembro 05, 2008

"A Rentrée"...

...Desta “rentrée” e deste mês de Setembro de 2008 se poderá mesmo dizer que só acabará nos meados de Outubro de 2009. E se assim o digo, é por ter presente a azáfama que na vida política se vai viver desde as próximas eleições para a Assembleia Legislativa dos Açores, em meados de Outubro, passando pelas do Parlamento Europeu, provavelmente em 14 de Junho de 2009 e culminando com as legislativas e autárquicas que forçosamente decorrerão, preferencialmente separadas, entre meados de Setembro e meados de Outubro do próximo ano.

... E porque a escola, os tribunais, a vida social e económica, e também a política, estão de regresso, já se vai sentindo o esvaziamento da temática da “onda de violência” e o baixar de tom dos que apregoam o regresso ao passado em matéria de prisão preventiva ou dos que vazam para cima das leis a responsabilidade dos novos paradigmas e sofisticação criminais, (já agora, os que se queixam de “excessos de garantismo” que se recordem do esbulho de vida e da humilhação por que passou o Dr. Paulo Pedroso).
Desde há muito que as pessoas mais sensatas em matéria de justiça e de administração interna preconizam que o cerne dessas funções de soberania é incompaginável com o seu uso e abuso como arma de arremesso partidário. Lamentavelmente não tem sido essa a postura de alguns dos principais dirigentes da oposição, mesmo de alguns que bem recentemente desempenharam funções nessas áreas.
...




(excertos da minha crónica mensal no Jornal de Leiria de 4 de Setembro de 2009)


Osvaldo Castro