quinta-feira, agosto 21, 2008

Nelson Évora a honra de duas nações...


Com quatro saltos de eleição e um de lágrimas contentes, o cabo-verdeano Nelson Évora fez abrir um sorriso na honra dos portugueses... a Bandeira verde-rubra de Portugal, país por que optou, iria ser desfraldada no estádio olímpico de Pequim...era o ouro da glória, 12 anos após o "sprint" de Fernanda Ribeiro... e poucos dias após a prata de Vanessa.
E assim se superou o desânimo que se abatia por entre muitos portugueses que seguem, praticam ou gostam de desporto...
Nelson Évora como que calou os críticos... e com os seus saltos quis lembrar que, além dele, também a Naide Gomes poderia ser medalhada, se as contingências do desporto se não intrometessem, a despropósito, como sucedeu no mesmo dia, com as desqualificações das equipas americanas, masculina e feminina, de estafetas de 4 por 100 metros...
Nelson Évora encheu de orgulho as suas duas pátrias Portugal e Cabo Verde.
Parabéns!
Osvaldo Castro

segunda-feira, agosto 18, 2008

Vanessa Fernandes...a simplicidade de uma campeã...!




A medalha de prata, aos 22 anos, numa prova duríssima....mil e quinhentos metros de natação em águas abertas, seguidos de 40 Kms de ciclismo e a fechar, dez mil metros de corrida...

Vanessa esteve sozinha contra as experientes australianas, suíças, americanas...contra todas, afinal, que a temiam e respeitam.

Vanessa cortou a meta com um sorriso nos lábios e foi de imediato abraçar a sua rival e vencedora...uma fortíssima australiana.

Um exemplo de simplicidade e humildade que só pode ser seguido por todos os atletas que respeitem o espírito olímpico.








Osvaldo Castro

domingo, agosto 17, 2008

A vantagem de um nome

Não confundir a estrada da beira com a beira da estrada é uma expressão popular que se usa quando pessoas e circunstâncias se confundem, quase sempre, a benefício contrário.
Com os nomes, por exemplo, esta situação é frequente. Diz-se, de facto, que José Sócrates convidou para Ministro da Cultura António Pinto Ribeiro, advogado, quando, efectivamente, desejava convidar António Pinto Ribeiro, programador cultural.
Lembrei-me disto a propósito do candidato do PSD à câmara municipal, António Santos.
Sobre este candidato já me perguntaram se se tratava de António Santos, professor de educação física, mestre em treino jovem e grande impulsionador do desenvolvimento do Andebol na Marinha Grande, na colectividade de Picassinos e responsável por vários títulos (incluindo nacionais) sendo que, é justo assinalar, do meu ponto de vista, foi quem nos últimos 20 anos mais fez na terra em prol da afirmação de uma modalidade desportiva;
Já me perguntaram se se tratava de António Santos, empresário de moldes, cidadão respeitado e admirado na Marinha Grande, um grande apoiante, também, do desporto vidreiro (junto do seu clube de sempre, o Atlético Clube Marinhense) e proprietário da empresa Tecmolde que é hoje quem melhores ligações e contactos internacionais tem na competitiva área dos moldes e ferramentas especiais;
Já me perguntaram se se tratava de António Santos, conhecida e popular figura marinhense que trabalhou muitos anos em empresas vidreiras e que desde há muito, também, se tem dedicado a causas culturais e ambientais, sendo hoje um dos dirigentes máximos da OIKOS, uma organização não governamental na área da defesa da floresta e do ambiente;
Já me perguntaram se se tratava António Santos, velho marinhense muito dedicado às tradições vidreiras da sua terra, que a desenvolveu, desde sempre, junto das colectividades locais, em especial na zona da Amieirinha, onde reside;
Já me perguntaram até se se tratava de António Santos, popular cantor marinhense de fado vadio, reformado da BA 5 de Monte Real, que durante anos fez as delícias de noctívagos amantes deste canto tradicional português no palco do Tachinho Bar, entre outros, ali para os lados do Engenho e a caminho do Casal Galego;
Ou seja, perguntaram-me sobre todos, menos sobre o próprio.



João Paulo Pedrosa

segunda-feira, agosto 04, 2008

Barack Obama, a "vertigem" e a audácia da esperança










Osvaldo Castro