domingo, outubro 30, 2005

Bumerangue


Esta semana, num artigo do jornal da marinha, alguém lembrava que o actual executivo municipal de maioria PS não tinha dado seguimento a uma proposta dos vereadores da CDU, com 2400 assinaturas, para acabar com a taxa de saneamento e a taxa dos resíduos sólidos (lixo). Foi uma falha, pois claro ! Espero lembrar isso ao vereador que a apresentou, agora que foi eleito presidente.



João Paulo Pedrosa

sábado, outubro 29, 2005

Lírios entre cardos

Pela primeira vez, na história da política autarquica local, um partido - o PCP - decidiu fazer uma coligação formal com outro - o PSD - para todos os órgãos autárquicos do concelho onde a intervenção de ambos conta. A saber, câmara municipal, assembleia municipal, junta e assembleia de freguesia da Marinha Grande e da Moita. Na História com letra grande, talvez só o pacto entre Hitler e Estaline nos venha à memória num momento destes.
Para a câmara municipal é o que todos temos visto nos órgãos de comunicação local, situação que se alargará, naturalmente, à eleição para a assembleia municipal. Na junta de freguesia da Marinha Grande, depois de tudo terem acordado com o PSD (o partido, é bom lembrar, mais penalizado pelos cidadãos do concelho ao perder cerca de 30% do seu eleitorado anterior) ainda tiveram a ousadia, procurando humilhar os nossos candidatos, de oferecer ao PS o mesmo que ao PSD, ou seja, um lugar no executivo da junta, não obstante o PS ter obtido o tripo dos mandatos eleitorais daquele partido.
Na Moita o caso é ainda mais grotesco.
O PS ganhou as eleições e ofereceu ao PCP um lugar no executivo da junta e deixava em aberto a discussão para a presidência da assembleia de freguesia.
- " Que não ", foi categórico o PCP: A presidência da assembleia é para o PSD e o outro membro da junta também. Eu, confesso-vos, nem queria acreditar que estava a ouvir isto da boca de um responsável local do PCP. Sendo assim, porque razão, caros leitores, nós nos deveríamos admirar dos comunicados conjuntos se, partidos tão diferentes como o PCP e o PSD, estão na política local a falar a uma só voz ?
É evidente que esta arrogância pelo poder absoluto com o único propósito de esmagar o PS, não vai durar para sempre e vai ter um preço, um preço que todos vamos pagar caro. Quando o PCP retomar a municipalização de serviços (como já anunciou o presidente da câmara eleito) entregues e melhor geridos pela iniciativa privada ou quando os empresários começarem a clamar que, em vez de apoios, só vêm agitação social, alguém há-de vir gritar por socorro. Esperamos é que não seja tarde.



João Paulo Pedrosa

quinta-feira, outubro 27, 2005

Um péssimo caminho

So canto mi cancion
a quem comigo va
Romance do Conde Arnaldo

Depois de ter perdido as eleições entrei de férias e remeti-me ao silêncio público - apenas me limitei a alguns posts e comentários na blogosfera - para dar espaço à nova liderança autarquica e para acabar com o ruído da campanha eleitoral. Terminado aquele periodo, há agora que trabalhar para unir o concelho em torno das questões e dos problemas que mais afectam as nossas populações. Na realidade, a partir do dia de 10 de Outubro, todos somos poucos para ajudar a melhorar a vida dos nossos concidadãos. Pensava eu, com a ingenuidade dos meus 40 anos acabadinhos de fazer, que todos assim pensariam. Enganei-me, pois claro!
A verdade é que, desde o episódio da mordaça taliban que quiseram impôr ao padre Nelson, o presidente da câmara eleito tem-se multiplicado em delírios persecutórios contra pessoas que estão a trabalhar com o actual presidente da câmara, tem-se multiplicado em declarações aos jornais acentuando os dichotes da campanha eleitoral, já avisou que vêm aí as manifestações e a instabilidade social, já se começou a queixar dos cortes orçamentais do governo e já está cansado com a herança que ainda não recebeu, não sabe o que fazer com os assuntos mais prementes, diz que já convidou comissários políticos para o assessorarem mas não aceitaram e, para todos os problemas, em vez de apresentar soluções, ora diz que organiza um dossier, ora diz que vai pedir ajuda à assembleia municipal.
Nem uma palavra sobre concertação partidária, nem uma palavra sobre trabalhar em conjunto com todas as forças políticas para recolher e aproveitar o melhor que há em cada um e colocá-lo ao serviço da terra, nem uma palavra sobre união e comunhão de esforços para vencer as dificuldades e fazer progredir o concelho. Nestas declarações, com muita pena minha, só vejo ódios pessoais e desejo de vingança. A Marinha Grande não merecia isto !
Na minha opinião este é um péssimo caminho. Conto dizer-lhe isto na primeira reunião do executivo camarário.



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, outubro 26, 2005

Uma boa ajuda

tem dado este governo às autarquias locais, apesar das dificuldades. Na verdade, foi já este ano que se iniciou o programa de inglês para o ensino básico, totalmente financiado pelo ministério da educação e que na Marinha Grande está a funcionar em pleno. Esta semana foi anunciado também que o mesmo ministério vai financiar aos municípios todas as refeições deste nível de ensino. É, sem dúvida, uma excelente notícia para o nosso concelho. É que, de facto, nós já servimos cerca de 200 mil refeições/ano e não recebemos um tostão de ninguém. O novo executivo municipal já tem aqui uma boa ajuda e pode canalizar os mais de 20 mil contos de poupança para outros fins e necessidades. Sugiro que essas verbas sejam canalizadas para dar início a um programa de educação para a ciência nas escolas deste grau de ensino.



João Paulo Pedrosa

O PIDDAC da Marinha Grande para o próximo ano

tem que representar uma nova ambição local e será já o reflexo do mandato que em breve se inicia sob a liderança, ao que se diz, da coligação PCP/PSD. Na realidade, no Piddac deste ano terminam os apoios do estado ao Polis, ao CRISFOM e à construção do quartel da GNR da Vieira porque são obras concluidas. Para este ano, ainda lá está o financiamento que obtivemos para a construção de salas pré-primárias no concelho e para a recuperação do mercado da Vieira. Para o próximo ano espero que o executivo municipal possa captar mais financiamentos para mais obras para o concelho, designadamente, a variante a S. Pedro de Moel (liga a estrada de água de madeiros à estrada da Nazaré, com ligação à A8 sem passar pelo centro da Marinha) que já está protocolada com o instituto de estradas; a piscina municipal e o teatro Stephens cujos projectos estão concluidos e prontos para serem candidatados; o financiamento para a execução, rápida, das infra-estruturas da zona industrial da Marinha Pequena e Casal da Lebre é crucial para que o desenvolvimento económico do concelho se proceda sem sobressaltos e sem crises com graves consequências sociais. Se o executivo camarário não souber fazer valer os seus pontos de vista junto das instâncias governamentais, terá sempre de fazer estas obras com recurso a fundos próprios. Não há milagres!



João Paulo Pedrosa

sexta-feira, outubro 21, 2005

O desgoverno

local é uma história anunciada. Na realidade, a julgar pelas notícias dos jornais locais a promitente coligação PCP/PSD mesmo antes de tomar posse já anunciou que o mercado vai ficar no mesmo local, sendo objecto de obras e que o espaço do novo mercado vai ser entregue à Lusomundo para transformar em cinemas. Parece-me, na verdade, uma brincadeira de carnaval mas, ainda assim, vale a pena tecer algumas considerações:
1º - É uma clara capitulação do PCP que, não tendo nada disto no seu programa eleitoral, cede assim a uma "ideia tonta" defendida pelo PSD na campanha eleitoral;
2º - Os projectos de reconversão do actual mercado, a traço grosso, custariam cerca de 10 mil contos e demorariam entre 6 meses e um ano para concluir;
3º - O concurso público para adjudicação das obras, entre lançamento, publicação, adjudicação e consignação demoraria, na melhor das hipóteses, 1 ano;
3º - As obras ( e onde é que se iriam colocar os actuais vendedores ?) com tudo a correr bem, sem alterações de projecto, nem trabalhos imprevistos, prolongar-se-iam, no mínimo, também por 1 ano;
4º - Tendo em conta o tipo de obras a realizar, uma intervenção de reconversão o mais elementar e simples possível não custaria menos de 150 mil contos;
5º - Entretanto um infra-estrutura moderna e bem equipada para mercado municipal entregava-se a uma empresa para projectar cinema;
Em eleições, às vezes, o mal nem é perder. O mal é isto ...



João Paulo Pedrosa

quinta-feira, outubro 20, 2005

Zombies - O Regresso dos Mortos Vivos

de George Romero, é um filme nojento ! Trata-se de uma história sobre uma epidemia que faz ressuscitar os mortos como criatura horrendas e estropiadas, convertidas em seres desejosos de carne humana. Perante esta epidemia Zombie a larga escala, Shaun, com um bastão de criquete numa mão e uma pá na outra, prepara-se para salvar a humanidade destes mutilados horrendos. Lembrei-me desta película quando hoje passava os olhos pelo jornal da Marinha Grande. A propósito de um artigo do Sr Padre Nelson Araújo, eleitor e cidadão marinhense, que decidiu tecer elogios ao trabalho de Àlvaro Órfão durante doze anos na câmara municipal e ao meu trabalho como vereador, o PCP decidiu lançar uma ofensiva, em todas as páginas do jornal, repito, em todas as páginas, de velhos apparatchic comunistas ( como diria o Vicente Jorge Silva, toda a tralha comunista) contra a opinião do Sr Padre. É uma coisa nunca vista! Tecem-lhe insultos sem vergonha e lançam-lhe as ofensas mais rasteiras, apenas porque ousou dar uma opinião sobre a sua terra.
Preparem-se, se alguém tinha dúvidas sobre a jaez desta gente é bom que as dissipe, eles estão aí...
Afinal, 80 anos, sempre são 80 anos !


PS - Na minha vida falei com o Sr Padre Nelson Araújo três ou quatro vezes, palavras de circunstância ou, talvez, algum assunto da igreja com a câmara municipal, portanto, relações normais entre um Padre e um Vereador. Não sabia, porque nunca mo tinha dito, que apreciou o meu trabalho. Quase, pois, que me sinto envergonhado por, indirectamente, ter envolvido o Sr Padre nesta situação infame. Peço-lhe desculpa por isso, citando uma metáfora bíblica, "há mais alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por 99 justos que não precisam de arrependimento".



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, outubro 19, 2005

Vida Pública

Antes de regressar ao meu lugar de técnico superior principal (já podia ser assessor se o engº José Sócrates não tivesses congelado as carreiras mas, como ele diz, os sacrifícios são para todos...) do instituto de solidariedade e segurança social de Leiria, tirei alguns dias de férias que ainda me restavam e, por isso, tenho encontrado muita gente na rua. Palavras simpáticas, sempre muito simpáticas e redobrados incentivos são sempre atitudes bonitas e civilizadas. Todavia, o que tem despertado mais a atenção são algumas justificações que as pessoas insistem em me dar sobre o sentido de voto deles.
- " não votei em si porque não meteram um espelho na minha rua e aquilo é um perigo..."
- " enquanto não me arranjarem um emprego para a minha neta não voto em mais ninguém..."
- " olhe, você é simpático e até parecia que tava a olhar para a gente nos cartazes, mas desta vez não fui votar, a rua do Cortiço na Comeira tá uma vergonha, uma miséria..."
Bom, esta é apenas uma pequena amostra do que tenho ouvido por aí.
Ontem e hoje aproveitei as férias para ir levar e buscar as crianças à escola. Tocar à sineta para entrar porque a escola tem vedação, almoço na escola, recreio com brinquedos certificados, polidesportivo para jogar à bola e, a partir das 15.30, graças à câmara municipal e ao engº Sócrates, alternadamente, aulas de inglês, expressão plástica, educação musical, natação, estudo acompanhado e ainda aulas de técnologias de informação e comunicação.
A rua do Cortiço pode, obviamente, esperar...


João Paulo Pedrosa

Praça Stephens

é um excelente nome para continuarmos com o nosso blogue, agora despido das funções da campanha eleitoral. Reflexão sobre a nossa realidade local e tudo o mais que aqui queiram transmitir. Nos próximos dias vamos ver se fazemos as necessárias alterações e estão abertas inscrições para quem quiser pertencer ao blogue. Estes só terão que assumir o compromisso da regularidade, caso contrário podem sempre mandar textos ocasionais através do e-mail. Portanto, caros amigos, habituais colaboradores do PS/Marinha Grande digam-nos se aceitam ser "afixadores" do nosso Praça Stephens.



João Paulo Pedrosa

domingo, outubro 16, 2005

Ultrapassados os 20.000 acessos!

Quase sem se dar por ela,na noite de sábado para domingo,superámos os 20.000 acessos a um Blog de campanha...É um belo número e dá a dimensão do interesse que suscitou,ainda que se não devam confundir,naturalmente,os números de acesso com os diferentes números de visitantes...Mas,tratando-se de um Blog de campanha política,não duvido que tivemos milhares de leitores diferenciados...Não deu para ganhar,mas não foi por ele que perdemos.
Agora temos de pensar no seu futuro,caro João Paulo,talvez denominá-lo de outro modo,por exemplo, Praça Stephens...?E dar-lhe outros conteúdos para além da política autárquica e nacional...Um Blog de verdade...com mais gente a colaborar e que se imponha na blogosfera local e regional...nacional,pode ser pedir de mais...
Apesar das minhas limitações de tempo,podes contar comigo com regularidade semanal...
Vamos a isso?
Osvaldo Castro

sexta-feira, outubro 14, 2005

Vodka com Laranja

Trata-se de um termo que se usa nos raríssimos casos em que o compadrio, o favorecimento e a falta de vergonha falam mais alto. Fenómenos como este são tão vulgares como o eclipse total do sol, mas acontecem.Na última festa do Avante, o candidato do PSD à câmara lisboeta apareceu sorridente pela mão do camarada António de Abreu, o mesmo Abreu que diz "Dá cá o meu" como gestor de uma empresa da autarquia da capital. Uma mão lava a outra, mas na Marinha, as mãos estão bem sujas. Nitratos, arsénico, chumbo, mercúrio que ficaram guardados do conhecimento público até oportunamente poderem ser usados, não contra o adversário mas a favor de um colega de equipa. O executivo camarário que agora começa, não sei se é mais amargo devido ao vodka marado, envelhecido em cascos de rolha, ou se são as gotas de laranja que o azedam. Fala-se de ressaca eleitoral, há quem tenha acordado no dia 10 com a boca a saber a papel de música. Para esses só tenho um conselho: Bebam água, muita água para poder engolir o sapo.



Cão com Pulgas



Nota: Com a devida referência este post foi afixado aqui ao lado no Observador. O Cão com Pulgas é um rapaz que escreve bem, tem piada e uma pena afiada (e eu que o diga...) Não é por isso que gosto menos de o ler e de o dar a conhecer também aos nossos leitores. Acho este post particularmente oportuno.



João Paulo Pedrosa

À atenção do meu amigo Paulo Baptista dos Santos para que não fique com problemas de consciência

Hoje, no Jornal da Marinha Grande, Artur de Oliveira, candidato do PSD à câmara municipal e eleito vereador, afirma "fiquei muito satisfeito com a vitória da CDU", acrescentando, logo a seguir, " eu e o João Barros (leia-se presidente do PCP eleito) vamos mudar as mentalidades que existiam até aqui".


João Paulo Pedrosa

quinta-feira, outubro 13, 2005

Ainda as eleições

Amigo, entendo perfeitamente quando dizes que te sentes na via-sacra de pois de apresentares uma lista de gente tão capaz e com tantas provas dadas que dispensam adjectivos e os Marinhenses nem sequer souberam reconhecer a diferença. Deixa-me partilhar contigo a desilusão desta derrota, afinal não há sentimento pior que a ingratidão, de uma cidade que não tinha qualquer atractivo para quem por ali passasse, passou a ser uma cidade bonita que até vale uma visita de final de semana, eu próprio já fui de propósito á Marinha Grande passar umas horas com os meus filhos naquele belo Parque da Cerca.
O povo é soberano seja feita a sua vontade.
Passeios de final de dia, há sitio melhor que aquela avenida na Praia da Vieira.
O povo é soberano assim quiseram assim têm. Não há melhor juiz que o tempo. Não concordo contigo quando te assumes como responsavel politico pelo resultado, na minha humilde opinião não são ideologias politicas que estão em causa mas sim projectos esequíveis em beneficio da nossa terra e das nossas gentes. Também não é uma derrota pessoal, muito menos só tua porque também me quero incluir na responsabilidade porque reparo agora que cometi um erro ao ser tão destemido ao defender-te e tão apaixonado quando falava da tua pessoa, enquanto ajudava alguns a decidirem, outros pensavam que eu estava a preparar um "tacho" para mim e decidiram talvez por outro caminho (...). Espero do fundo do coração depois de reflectires bem que daqui a 4 anos voltes a ser o nosso candidato, porque dessa vez a soberania do povo a sua vontade e sua razão só poderão eleger João Paulo Feteira Pedrosa. O blog deve manter-se aberto para irmos debatendo a vida do nosso concelho.



Rui Rosa

Correio dos leitores

Caro João Paulo,

tal como tive oportunidade de te dizer na noite das eleições, quando ganhamos - ganhamos todos, quando perdemos - perdemos todos!
Sei que há diferentes níveis de responsabilidade traduzidos na maior ou menor intervenção de cada um no processo, de definição do programa eleitoral, de escolha dos candidatos, de planeamento da campanha, etc, mas nem mesmo isso ilíde a natureza colectiva da derrota (incluindo os que não se empenharam). Creio que o trabalho de equipa que se desenvolveu na preparação destas eleições, o qual lideras-te, honram o PS e a Marinha Grande e são um capital político e de participação cívica que não deve ser desperdiçado.
Mas como acredito que há vida para além das eleições e que as derrotas políticas fazem parte do processo natural de convivência democrática, considero que as responsabilidades do PS não diminuiram, antes pelo contrário. Uma oposição empenhada e responsável poderá (e deverá) fazer muito pelo Concelho, não desacreditando os que em nós confiaram e respeitando a maioria que de nós discordou e a qual, por certo, não espera de nós subserviência, arrogância ou irresponsabilidade, mas antes alternativa séria e credível.
E apesar da derrota, que deverá ser contudo objecto de atenta e serena reflexão, confesso que nem por um momento deixei de acreditar que o projecto que defendemos para o Concelho era o melhor. Talvez por isso a noite de Domingo tenha sído para mim, e acredito que para a maioria de nós, de grande desilusão.
Deixa-me porém que te corrija: a tua Via-Sacra não foram os votos brancos - a nossa Via-Sacra foram as 13.688 almas que se estão "perfeitamente nas tintas" para o que acontece no nosso Concelho! Talvez sejam os primeiros a reclamar. A democracia dá-lhes esse direito, sem pedir nada em troca...
Mas como em tudo na vida há sempre um quadro pitoresco. Verifiquei com alguma surpresa (ou talvez não) a alegria incontida do terceiro partido mais votado, comemorando não sei bem o quê (ou talvez saiba), transformando uma derrota numa vitória. Fez-me lembrar um outro partido que é perito nesta arte. Será esta coincidência prenúncio de algo mais? Onde é que eu já vi isto?

Um abraço,

Filipe Gomes

Ao menos o Silva Marques saiu do PCP para o PSD

Hoje, com total espanto, o presidente da câmara Àlvaro Órfão informa-me que chegou à câmara um texto panfletário inqualificável subscrito, imaginem, por Barros Duarte e Artur de Oliveira. A CDU elegeu quatro vereadores ?



João Paulo Pedrosa

Sem surpresa

"Sei de fonte muito segura que a CDU e o PSD se vão entender".

Esta frase, tirada de um blogue marinhense, levou-me a escrever lá o seguinte comentário:

Se me permitem entrar na discussão, há aqui matéria interessante. Referi na minha campanha eleitoral que a CDU, se ganhasse, iria privilegiar a confrontação (contra o governo, sobretudo) em detrimento do diálogo e da resolução dos problemas (por isso falei tantas vezes da necessidade de um conselho para o desenvolvimento económico de forma a antecipar tempos difíceis). Com esta informação do "Observador" essa ideia começa a tomar forma, ou seja, a CDU ao escolher como aliado preferencial da gestão da câmara o PSD, dá-nos o sinal do que quer para o futuro, pode ser bom para o seu "fundo de comércio", mas vai ser péssimo para o concelho.



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, outubro 12, 2005

Correio dos leitores

Caro João Paulo,
Antes de mais, os melhores cumprimentos para ti e para toda a equipa de trabalho!
Vou tentar ser breve, nas minhas ideias. Foi um facto triste, termos perdido a Câmara e a Junta mas, deixa-me cumprimentar-te, dar-te os parabéns, pela Atitude e Desempenho que revelaram sempre o lado mais positivo de um candidato ganhador, que é isso o que se vê em ti. Não acho que tenhas perdido por não seres da Marinha Grande, nem por não teres um plano de acção. Muito pelo contrário. Em primeiro lugar é natural que já houvesse um desgaste da figura do executivo socialista à frente dos destinos da Marinha Grande e, depois, estava patente que o projecto que apresentáste para a Marinha Grande seria a alavanca que, a meu ver vai faltar à CDU para continuar a obra deixada pelo governo municipal destes últimos doze anos. Por isso mesmo, é nosso papel a partir de agora arregaçar as mangas e ir ao trabalho, de modo a que durante os próximos quatro anos nos possamos apresentar como uma oposição de trabalho, que deixe a sua marca pela positiva e que, ao contrário daquilo que é em muito a imagem da CDU, continue a representar, não um entrave, mas uma alavanca para o desenvolvimento na Marinha Grande. Em relação à campanha para daqui a quatro anos, deve começar a ser preparada desde já e penso que se deve começar por ouvir as pessoas, aquelas que não vêm ter connosco, porque não se identificam com política ou porque, dizem, têm mais que fazer. Um ano tem 52 semanas e a Marinha Grande tem cerca de 50 lugares. Bem planeado dá para visitar um lugar por semana e contactar com as pessoas directamente.
Outro ponto tem a ver com o blog. Seria positivo mantê-lo e dinamizá-lo no sentido de o tornar num site de referência para a Marinha Grande e um promotor de debate e discussão de ideias para a nossa terra.
Outra situação que também gostaria de abordar tem a ver com partidos, como o Bloco de Esquerda, que, segundo disseram, tiveram uma subida significativa das últimas
para estas eleições. Porquê o BE? Porque é um partido que, não tendo um papel claramente definido, tem "marketing", o que o torna "moda" para a juventude e uma "saída à esquerda" para os insatisfeitos, e tem uma voz que assanha levemente a rebeldia . Mas só tem isto. Pouco é o que a secção do PS de uma cidade como a Marinha Grande poderá talvez fazer contra isso, mas há realmente que cativar gente jovem e desenvolver projectos com perspectivas de continuação.
Sei que após tantas linhas não dei nenhum contributo palpável mas queria partilhar esta minha opinião. Vamos em frente!
Um abraço

Nuno Ferreira

Correio dos leitores

Caro Dr. João Paulo
Venho agradecer-lhe o que fez pelo C.D. Moitense ao longo destes ultimos anos com apoios ao ciclismo, à cultura, ao desporto e principalmente por ter contribuido para um dos meus desejos fosse cumprido, trazer os jovens ao Clube Desportivo Moitense, o que está ser conseguido com a Fonoteca.
Durante todos estes anos não concordei como é obvio com algumas das suas decisões, no entanto, hoje, penso que outros não teriam feito melhor.
Este meu Email não tem outro fim que dizer-lhe obrigado, é justo que o faça, pela maneira sempre cordial e disponivel com que sempre me recebeu (...)
Chegou à altura de renovar o PS na Moita, na Marinha Grande e na Vieira, força, temos jovens com muita qualidade que o poderão ajudar nesta caminhada, não deixe o nosso Concelho andar para trás.

Um abraço

Hélio Moleiro

Correio dos leitores

Porque queria logo enviar-te um beijinho de parabéns! Foste, indubitavelemente, o melhor candidato e tenho a certeza de que farias o melhor mandato. Por ti e pelo próprio concelho merecíamos que hoje fosses o nosso presidente... Os votos entrados nas urnas assim o não quiseram e aceitar é uma lei da democracia.
Espero, com todo o meu desejo, que Marinha Grande não possa regredir na senda do progresso, do diálogo e da abertura à cultura desempoeirada.
Quanto a ti, e ainda não tive tempo de ler todas as mensagens que recebeste, os meus parabéns pelo homem que sempre reconhecemos durante todo este processo de campanha, com a educação, a sensibilidade, o bom senso a par do espírito reivindicativo que sempre demonstraste possuri pelo bem comum. Sobretudo o homem de consensos e não subserviente.
Um grande abraço e bem hajas por nos teres permitido sonhar um pouco com um concelho ainda mais nobre e com o futuro a ser construído nas nossas próprias mãos.
Deixo os parabéns para os formalismos que para mim só tu os mereces.
Um beijo

Maria Fernenda

Correio dos leitores

Meu caro João Paulo,
Sabes, melhor do que eu, que a democracia é assim mesmo!... Felizmente.
Mas porque considero que a tua candidatura enquadrava um projecto político de futuro para o nosso Concelho, lamento que os marinhenses não o tenham sufragado.
Deixo-te aqui uma palavra de conforto e de incitamento.
Como vereador de oposição (que por certo assumirás) não te irão faltar oportunidades para fazeres a demonstração de que o programa que a tua candidatura propôs aos marinhenses para estas autárquicas continha (contem) um larguíssimo conjunto de ideias que, não tenho dúvidas, contribuíriam não só para continuarmos a projectar a Marinha Grande no todo nacional, mas também para a melhoria de vida de todos nós os que vivemos nesta terra dos Stephens!
Estou seguro que desempenharás, activa e empenhadamente, as nobres funções que, em democracia, cabem à oposição, de forma a que a força política que representas continue a contribuir para o assinalável progresso que o nosso Concelho tem vindo a registar desde há alguns anos a esta parte.
Um abraço

Fernando Pedro

segunda-feira, outubro 10, 2005

Os votos brancos da via-sacra

Apesar de estarem na moda, não houve muitos votos brancos na Marinha Grande. Todavia, foram aqueles que mais me doeram, com eles senti-me na via-sacra. Dito por outras palavras, escolher a CDU, o PSD, o BE ou o CDS é isso mesmo, uma escolha, legítima. Dizer que tanto faz escolher entre mim e Barros Duarte ou entre Luís Marques e Osvaldo Castro, é duro, muito duro.


João Paulo Pedrosa

Responsabilidade política

Não considero, nem quero, que a governação de José Sócrates tenha tido influência nos meus resultados eleitorais, se assim fosse a minha insatisfação era ainda maior. Entendo que foi uma derrota política e pessoal minha, na medida em que, enquanto presidente da comissão política concelhia do PS, fui o responsável máximo pela decisão. E quando assim é, algo tem que mudar. Pois é justamente isso que vou dizer na próxima reunião da CPC, há uma oposição na câmara que vou liderar, mas o PS tem que pensar no futuro e preparar a alternativa, com novos protagonistas e com novos rostos.



João Paulo Pedrosa

Tenho pena

de já não realizar o Fórum Blogosférico Nacional na Marinha Grande, como tinha prometido ao Rui Tavares e tenho pena também de não continuar com este blogue nos moldes em que o tinha anunciado e idealizado.



João Paulo Pedrosa

Matemática eleitoral não é política

Em termos matemáticos a derrota foi assim:

Perdi 100 votos na freguesia da Marinha Grande;
Perdi 180 votos, mais 100 que ganhou a CDU, na Freguesia da Moita;


João Paulo Pedrosa

Parabéns aos vencedores no concelho da Marinha Grande!

Já cumprimentei os vencedores,em directo,na RCM e já o disse, igualmente,à comunicação social que de mim se abeirou na noite eleitoral. Reitero-o,aqui e agora,antes que alguém pense que este "blog" fechou para obras...
Em democracia,há que saber assumir as vitórias mas também os insucessos.
O julgamento popular nas urnas é decisivo e com ele se devem conformar os que se arriscam a dar a cara por um projecto, mesmo quando ele sai perdedor.
Eu,que já me candidatei a 7 eleições autárquicas e a não sei quantas legislativas,nunca havia perdido na Marinha Grande.É um sabor diferente,claro,mas que assumo com a frontalidade e a humildade que a democracia sempre exige.
Pelo que vi na sede do PS, na noite das autárquicas,creio poder dizer que todos os meus camaradas,independentes e amigos do partido,partilham comigo estes sentimentos de serenidade e tranquilidade.
E se ouvimos o nosso camarada João Paulo Pedrosa assumir honradamente o insucesso do PS, no concelho, como uma derrota pessoal,quero aqui reafirmar que as derrotas políticas,tendo sempre algo de pessoal,são fundamentalmente derrotas de projectos colectivos.
Nas presentes circunstâncias,meu caro João Paulo,atrevo-me a pensar que teríamos perdido fosse quem fosse o candidato à Câmara.Tu empenhaste-te, como sempre o fazes desde os 16 anos,a fundo,com convicção e com a seriedade que é teu apanágio.
É por isso que,clarifico,a derrota é do PS,é de todos nós, que não lográmos vencer a onda que, pressentíamos,nos podia adornar.
O importante,agora, é que todo o PS,na Marinha Grande, saiba assumir o seu novo e indispensável papel na vida política local,o de ser uma oposição construtiva,mas firme, em defesa dos interesses do concelho.
Estarei nesse combate contigo,João Paulo, e com todos os nossos camaradas e amigos eleitos nos diversos órgãos e,estou certo,com todos os militantes do Partido Socialista.
Com confiança no futuro!




Osvaldo Castro

sexta-feira, outubro 07, 2005

Ao João Paulo

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia de Mello Breyner Andresen


[Para o meu amigo João Paulo - que este poema de Sophia, que é a tua cara, te acompanhe no serviço à res publica marinhense]

Rogério da Costa Pereira

A Escolha Certa,o Voto Útil, é no PS!

Nas próximas autárquicas não é o governo que está a ser julgado.
São antes os projectos,os programas e os candidatos que se apresentam ao sufrágio.
No caso da Marinha Grande,o que está em causa é saber se os eleitores apostam nos compromissos de futuro e na nova geração de políticas autárquicas, protagonizados por João Paulo Pedrosa,ou se optam pela visão imobilista e virada para o passado,preconizada pelo PCP/CDU.
Esta não é a hora para desperdiçar a hipótese de ajudar a eleger uma equipa jovem,competente,de honestidade inquestionável e devotada à causa pública.
Ter CONFIANÇA NO FUTURO da Marinha Grande,é fazer a ESCOLHA CERTA,apostando na renovação ambiciosa e na vontade de servir os legítimos interesses de marinhenses,moitenses e vieirenses.
Para tal,urge dar utilidade prática ao voto,votando nos candidatos melhor colocados e mais competentes para dirigir os destinos do município.
Tal é o caso da candidatura de João Paulo Pedrosa e da sua jovem e experiente equipa.
No Domingo,com confiança no futuro,VOTE PS!




Osvaldo Castro

Vamos todos votar em consciência


No próximo domingo, dia 9 de Outubro, os Marinhenses são convidados a exercer o direito de voto para elegerem os seus representantes aos diversos órgãos autárquicos.
Depois de uma campanha eleitoral onde a personalidade escondida de alguns candidatos da oposição se manifestou “brindando” a candidatura do PS com sucessivos ataques usando a calúnia, a mentira, a injúria e a falta de educação, hei-nos perante duas realidades a ter em conta:
-Uma marcada pelo carisma peculiar da oposição que não encontrou tempo suficiente durante a campanha para apresentar e propor inovação, juventude ou competência. Por outro lado gastou o seu tempo no inútil e no supérfluo, construindo à sua volta uma imagem que só serve para desmotivar os munícipes, ao colocarem a fasquia muito baixa quanto ao nível relacional dos seus políticos.
-A outra em contraste dominante, a elevação da candidatura do PS se mostrou ao eleitorado, séria numa demonstração clara do seu espírito de luta leal, simples e esclarecedora, com projectos alicerçados no manifesto progresso da nossa terra.
Para comprovar ao eleitorado com clareza a vitalidade do trabalho que se propõe prosseguir, basta ao cidadão comum olhar em volta de si mesmo e apreciar toda a obra que foi feita durante os 12 anos anteriores que transformaram radicalmente a Marinha Grande configurando-a já com o que de melhor se pode realizar a nível autárquico.
Para o futuro fica o prosseguimento do nosso projecto de bem fazer, para bem da população e a nossa proposta está nas vossas mãos para ser sufragado.
Para o próximo domingo convido também todos os independentes a uma adesão maciça às urnas, para que a candidatura do PS seja a vencedora e que a equipa do jovem João Paulo Pedrosa passe a comandar os destinos da Câmara Municipal da Marinha Grande.



Gabriel Roldão
Mandatário da Candidatura do PS às Autárquicas 2005

A intoxicação de jornalistas ou da raiva de candidatos perdedores...

O jornal local "A Tribuna" prestou um péssimo serviço ao jornalismo, ao ter dado ingénuo crédito a um candidato do PSD,a propósito do novo Parque da Cerca.
A parangona que encima a bela fotografia da 1ªpágina é tudo menos inocente...é o jornal a abeirar-se das baias do jornalismo "tablóide" em busca de audiências...E a notícia que desenvolve o título, é tudo menos jornalismo,por muito que a estimável jornalista se refugie no advérbio "alegadamente".
Todos os marinhenses sabem que o espaço ocupado pelo Parque da Cerca constituíu a zona de hortas e cultivo agrícola,desde o tempo dos Stephens...
Todos os marinhenses sabem que eram os próprios operários,em defesa das suas hortas e primícias,a impedir que na Cerca fosse vazado qualquer tipo de escória de vidro ou outros materiais que prejudicassem as suas culturas...
Todos os marinhenses sabem que o Parque da Cerca está delimitado da área fabril e terrenos adjacentes da actual empresa Mortensen...
Todos os marinhenses sabem que ao longo de dois séculos centenas/milhares de operários cultivaram a Cerca e não há notícia de quaisquer problemas de saúde relacionado com a propalada "contaminação" de terrenos...
E o argumentário podia alongar-se...
O que se lamenta é que um jovem candidato à Assembleia Municipal,pelo PSD,venha, a dois dias das eleições, tripudiar sobre a verdade e induzir um jornal local num erro de palmatória e,assim,tentar lançar um estado de alarme infundado e infundamentado sobre a população marinhense.
Tal factualidade configura,no mínimo, o crime previsto e punido no artº187º do Código Penal,agravado pelo tipo de divulgação.Ou seja, o crime de ofensa a pessoa colectiva,organismo ou serviço.
O referido jornal pactuou com a traiçoeira "golpaça eleitoral" de um candidato que é membro da Assembleia Municipal,local onde nunca levantou tal problema...
E porquê,se as obras decorreram durante meses?E se o problema tivesse a gravidade que se apregoa, não deveria ter sido suscitado atempadamente? Ou será que, jornal e fonte de informação sabem,como saberão de ciência certa,que o Parque da Cerca é um local seguro, onde até as zonas de diversão infantil ou outras são de piso sintético.
Eu sei que custa aos candidatos do PSD estarem a ver o seu eleitorado a fugir-lhes para opções mais adequadas aos interesses da Marinha Grande.
Verdade se diga,a responsabilidade é dos próprios, que dizem do seu vereador,Dr.Joaquim João Pereira,que,aliás,lhes propiciou o melhor resultado de sempre,o que "Maomé não diz do toucinho"...e tão só porque soube assumir-se como autarca responsável e defensor dos interesses da Marinha Grande!
E também não podem queixar-se das fracas escolhas de candidatos que produziram...já que foram os próprios,penso,a fazê-las!
Tudo para dizer,às manobras de baixa política,infelizmente,estamos habituados,agora o uso de boatos e a difusão de factos inverídicos, tendo como base a saúde pública,visando criar alarme no sentimento colectivo,raia o inadmissível!
As manobras eleitorais de última hora e a correspectiva cobertura jornalística, por parte da Tribuna, merecem a mais viva repulsa por parte dos cidadãos que encaram a cidania responsável como um valor fundamental.





Osvaldo Castro

8. Centro de apoio juvenil

A Câmara Municipal da Marinha Grande vai criar um espaço moderno de apoio à juventude, multi-funcional. Além de contemplar um Espaço Internet de cidade digital, terá ainda as seguintes valências: bar, sala de estudo, incubadora de associações juvenis, estúdio de som e imagem, centro de recursos administrativos, gabinete de apoio à saúde juvenil, espaço para exposições de jovens criadores locais, fonoteca e mediateca juvenil. O Centro será instalado preferencialmente numa zona central da cidade.


Razões:
Não sou, pessoalmente, muito apologista de políticas públicas que sobrevalorizam uma suposta condição juvenil em detrimento das condições de cidadania tout cour. Todavia, há hoje necessidade de dar aos jovens oportunidades e responsabilidade, por isso entendo que este centro é importante. Como o Garagem da Vizinha e o C. Sentenças (blogues de jovens marinhenses) o demonstram, há gente de grande talento, designadamente, nas artes e letras e nas artes do espectáculo que não têm grande visibilidade social, nem grandes oportunidades culturais. Talvez um centro juvenil incorporando todas aquelas valências permita inverter esta situação. Foram eles e a reflexão que fiz de muitas das coisas que escreveram e comentaram que me levou a este projecto. Estou-lhes grato por isso.



João Paulo Pedrosa

Uma obra que nos orgulha, um espaço a preservar

Na passada terça feira ,sabendo que um novo espaço de lazer dos Marinhense e de quem nos visita, havia sido aberto ao público nos antigos terrenos da Cerca ,passei por lá á noite na companhia de um cidadão Norueguês .Deste visitante estrangeiro ,recebi a confirmação da beleza daquele espaço que nos orgulha a todos nós , os que de uma ou outra forma contribuímos para a sua edificação.Naquela altura ,duas vontades retive em pensamento ; uma que concretizei de imediato,que foi enviar uma mensagem de parabéns ao ainda Presidente da Câmara Álvaro Órfão , dizendo-lhe que o seu nome ficará perpectuamente ligado a mais esta valiosa obra da sua governação . A outra vontade , contida naturalmente, seria dar um grito de revolta pelas atitudes e criticas da oposição , com difamatórias intervenções ,até do Sr,Presidente da Assembleia Municipal em escritos de jornal local ,que apresentavam esta obra como se de um monte de cimento armado se tratasse.Lembro-me das criticas feitas,antes e depois da empresa Cresmacoli na Assembleia Municipal ,haver apresentado aos deputados e público presente , o projecto de possível construção naquele espaço.Lembro-me de como defendi este projecto ,contra as difamações da CDU e do novamente seu candidato á Presidência da A.M..Lembro-me de lhes ter dito que a forma como criticavam tal projecto, era como se ali naquele espaço , viesse a nascer a “Brandoa da Marinha Grande” .Nós sabíamos e a CDU, também sabia , qual o projecto que a Câmara Socialista tinha aprovado para aquele espaço. Nós sabíamos e a CDU também sabia , o que havia sido aprovado em reunião de Câmara no dia 14 de Outubro de 2004 e apresentado aos deputados da A.M. no dia 25 de Fevereiro do corrente ano,pelos Arquitectos. Edison O.Kumura e Marta Rodrigues. A CDU e o Sr,Presidente da A.M.,uma vez mais não souberam estar á altura das suas responsabilidades como oposição .Em democracia , todos sabemos que o poder é efémero .Mas para haver alternância é preciso que haja alternativa melhor e mais credível junto do eleitorado. Na Marinha Grande e nesta altura ,as alternativas não existem.Primeiro porque a obra feita pelo Partido Socialista nestes 12 anos , merece que seja o PS a continuar esta obra , agora com nova liderança .Depois porque o principal opositor ,a CDU , não tem sabido cumprir o importante trabalho democrático que é ser oposição credível ,criticando para melhorar desempenhos e não apenas porque se é oposição .O novo parque onde crianças jovens e menos jovens podem hoje e no futuro conviver , é um espaço a preservar . Saibamos todos merece-lo , saibamos todos preservar este legado aos Marinhenses .

Telmo Ferraz

quinta-feira, outubro 06, 2005

Último jantar de campanha !





João Paulo Pedrosa

Palavra dos leitores

João Paulo deixo aqui um abraço de confiança e optimismo em relação ao futuro que se irá consolidar com a tua vitoria nestas eleições.
Aproveito ainda para te dar os parabéns pela forma e postura que tens mantido ao longo desta campanha eleitoral, não cedendo a falsas demagogias.
Parabéns,
Parabéns pois acreditar é vencer
Paulo Granjeiro

Intendência

Uma arreliadora avaria tem-me impedido de "postar" e de actualizar muita correspondência. Valeu-nos o Osvaldo para manter o blogue "fresquinho"...
Vou tentar colocar tudo em dia até amanhã por todo o respeito que nos merecem os leitores.
Obrigado pela compreensão.



João Paulo Pedrosa

"Isto não são favas contadas!..."


Como dizia o n/ amigo e camarada (e m/ patrono) Osvaldo Castro no jantar organizado na colectividade de Casal Galego, ‘isto não são favas contadas’…
Habituei-me a respeitar a sua opinião, reconhecendo precisamente essa sua particular capacidade, a que aludiu no início da intervenção, de “prever” resultados… Ainda que esse seu ‘dom’ mais não seja do que uma enorme capacidade de avaliar os dados concretos disponíveis e, acima de tudo, fundamentar as suas opiniões num profundo conhecimento da nossa realidade assente numa vasta experiência política, tenho que admitir que estes últimos dias de campanha serão decisivos para a vitória no próximo dia 9 de Outubro.
Por isso, é preciso corresponder ao convite formulado nas palavras com que o Álvaro Órfão nos brindou no seu discurso sentido e encorajante de quem tem enorme honra no trabalho desenvolvido em prole do concelho em mais de uma dezena de anos à frente dos seus destinos.
O apelo ao voto será determinante para uma vitória por margem significativa que se espera para daqui a oito dias. Para isso não podemos ficar impávidos e serenos a olhar para o êxito crescente dos jantares/comício organizados na Moita, Vieira e, ontem, na Marinha Grande.
Se tais actividades são a manifestação inequívoca do crescente apoio à nossa candidatura e às propostas que o PS tem para continuar a melhorar a Marinha Grande, precisamos de fazer um esforço final para levar às urnas os mais jovens.
A nossa recta final deverá contribuir para reduzir as hesitações de quem ainda põe em causa a utilidade de ir votar.

Rui Rodrigues

Palavra dos leitores


Jantar de campanha??
Em nossa opinião o que se viveu no pavilhão de Casal Galego foi, sob muitos aspectos, muito mais do que um simples jantar/comício de campanha eleitoral autárquica!...
As muitas centenas de pessoas que ali estiveram presentes viveram aquela jornada em ambiente de festa e tiveram a oportunidade de confirmar que o PS não se limita a debitar palavras de ordem ou a construir chavões para abrir ouvidos incautos ou menos preparados para descodificar mensagens que escondam vazios de ideias.
Foram poucos os oradores da noite, mas, nem por isso, a festa deixou de meter pela noite dentro desaguando já madrugada dentro, no dia seguinte.
Naquele jantar/comício (vamos chamar-lhe assim porque estamos em plena campanha eleitoral autárquica), houve lugar para muitas coisas, inclusive para cantar os parabéns ao candidato João Paulo Pedrosa que, no dia anterior havia somado mais um aniversário tornando-se, assim, num respeitável velho de 40 anos!! Parabéns João Paulo… só lamentamos que tenhas, com esse teu aniversário, contribuído para ‘estragar’ a média de idades das nossas candidaturas!!!
Mas nós (e aqui queremos dizer os marinhenses) perdoamos-te esse ‘deslize’…
Mas convirá que façamos o registo, embora necessariamente muito breve, do que nesse jantar foi dito.
Por exemplo: Não podemos deixar de anotar a dignidade com que o presidente Álvaro Órfão está a fazer a sua despedida de um lugar que, de uma forma particularmente honrosa, exerceu ao longo de doze anos, para os quais só poderemos encontrar paralelo na história da nossa Câmara Municipal, com o trabalho desenvolvido por um outro socialista (que infelizmente já não está entre nós) e por quem os marinhenses guardam saudosa memória. Referimo-nos, como é óbvio, a Artur Neto de Barros.
E quando outras candidaturas acusam a presente equipa camarária de nada ter feito ao longo destes anos, por certo pensam que os marinhenses andam distraídos, ou, pior ainda, que andam de olhos vendados…
Será que há doze anos já existia, no nosso concelho, algum museu?
Será que a biblioteca municipal tinha as instalações que tem hoje? E o arquivo municipal, estava feito? Será que as nossas bienais não têm contribuído para o enriquecimento cultural da Marinha Grande e para a divulgação (pela positiva) do nome da nossa terra? E o parque Mártires do Colonialismo, já havia sido reabilitado? E o parque da Cerca que está em vias de conclusão, pensava-se sequer na sua reconversão?... E as estradas para a Vieira e para S. Pedro de Molel? E as ciclovias e a estrada atlântica?… tudo isso já existia?
Mas a acção desta Câmara não se ficou por aqui, pois muitas outras coisas foram feitas, nomeadamente no campo do ensino (vejam-se os cuidados postos nas nossas escolas primárias e pré-primárias… e as refeições servidas aos pequenos alunos…), etc. etc.. Mas é bom que não esqueçamos ainda coisas tão importantes como, por exemplo, a economia.
Álvaro Órfão não o referiu, pois certamente não quis ser exaustivo, mas nós não poderemos deixar de registar a colaboração que sabemos ter a sua Câmara prestado a inúmeras iniciativas promovidas pelos agentes económicos (ou pelas suas associações) ao longo destes doze anos…
E como prova de que esta equipa continua a trabalhar até ao fim da sua gestão, ontem mesmo foi anunciada a recentíssima assinatura de um contacto-programa com o Instituto de Estradas de Portugal (ex. JAE) para a construção da tão desejada envolvente periférica à Marinha Grande, com a qual se pretende retirar do centro da cidade o grosso do volume de trânsito que acontece, nomeadamente no Verão…
Lá, naquele jantar/comício, não foi dito, mas nós não poderemos deixar de afirmar que é preciso ter despudor para dizer que esta Câmara nada ter feito e não ter uma consciência muito sã para produzir insidiosas insinuações que visam ao descrédito de quem pela sua terra tem dado o melhor. Será isto uma forma honesta de fazer política?
Claro que sabemos bem que nem tudo foi feito e que nem sempre foi feito tudo bem… mas só não erra quem não faz.
Como um conhecido meu dizia, “admitem-se conselhos de quem tenha feito melhor do que nós, não se aceitam de quem diga saber mais do que nós”. E apraz-nos perguntar: quem é que, aqui no concelho da Marinha Grande, já fez melhor que o Partido Socialista?? Os marinhenses, os vieirenses e os moitenses sabem-no e, em breve, o dirão…
Mas nem só o balanço da obra realizada ontem foi feito.
Ontem e ali, foi sobretudo projectado o que se pretende para o futuro do nosso Concelho. Os candidatos à Junta de Freguesia da Marinha Grande – Leonel Silva, à Assembleia Municipal – Osvaldo de Castro e à Câmara Municipal – João Paulo Pedrosa fizeram resumos do excelente programa de acção que o PS põe à soberana avaliação de todos os nossos conterrâneos.
Qualquer um de nós poderá, na tranquilidade do seu lar, ler o Praça Stephens, o Jornal de Campanha publicado pelo PS e que, tendo números dedicados às nossas três freguesias, regista o que de mais marcante tem o referido programa.
Cada um de nós, marinhenses, vieirenses e moitenses terá oportunidade de avaliar as propostas que são feitas e com a concretização das quais se pretende continuar a projectar o nosso Concelho de forma a podermos enfrentar o futuro com tranquilidade.
Atente-se nos muitos aspectos inovadores existentes no programa do PS. Faça-se a sua comparação com as propostas que outras candidaturas nos fazem e, facilmente, se compreenderá por que razão o nosso voto deve ser entregue às equipas que, de uma forma inovadora, consciente e, sobretudo, responsável, querem por tal programa ao serviço da nossa comunidade.
O nosso Concelho merece-o!...
Claro que o jantar/comício acabou em ambiente de grande festa e exaltação, mas todos quantos lá estiveram fizeram-no pelo convívio e pelo simples prazer democrático da sua participação na coisa colectiva, sem arrogâncias e, muito menos, sem a perspectiva de cultivar ódios mesquinhos… Foi uma excelente jornada a da noite de sexta-feira dia 30 de Setembro!!... Está de parabéns a Concelhia do PS que a organizou e está de parabéns a Marinha Grande que tem a garantia de ter ao seu serviço gente com tanta competência, de tão elevada qualidade intelectual e de tanto aprumo moral .

Fernando Pedro

quarta-feira, outubro 05, 2005

Aos adversários incrédulos...

Tenho reparado que nos debates verificados a propósito das eleições autárquicas, os adversários do PS, à falta de projectos , ideias e argumentos, têm-se comprazido a atacar o candidato do PS,João Paulo Pedrosa,alegando que as suas enunciações programáticas e os projectos que propõe não passam de "falácias" e de "promessas demagógicas".
Parece ser tão só sinal de desespero e sinal de conformação com a derrota...
Para os tais incrédulos,além da Cerca que já aí está,gostava de dar dois exemplos de como as promessas são mesmo para cumprir.
No passado 29 de Setembro,a Câmara,por iniciativa de Álvaro Órfão,em natural conjugação com o vereador e candidato,João Paulo Pedrosa,logrou fazer aprovar,por unanimidade, a ligação de S.Pedro à A8(Estrada Atlântica,recta de Água de Madeiros,Tremelgo,A8).E tudo confirmado em protocolo celebrado com o IEP(Instituto de Estradas de Portugal).Ora aí está uma obra que,pelo menos no Verão e fins de semana vai retirar trânsito do centro da cidade...
E na mesma data,também por unanimidade, foram aprovados os projectos complementares do novo Auditório Stepens,que manterá a linha da fachada, mas que se transformará num moderno e funcional Auditório.
Como se vê,as promessas são mesmo para cumprir e estes são apenas dois exemplos da fiabilidade dos candidatos do PS.
Aos tais incrédulos, ou aos que desejem conhecer melhor, sugiro a consulta das notícias do "site" da Câmara em www.cm-mgrande.pt .





Osvaldo Castro

O sucesso da nova Cerca!

Abriu hoje ao público...é só passar lá e ver a verdadeira multidão que por lá tem passado e que se compraz, deslumbrada, com a magnificência da nova Cerca. E,não obstante o imenso calor que se faz sentir,as crianças e os jovens enchem os parques infantis e os lugares de divertimento radical.
E o lugar soturno e escuro que, anteriormente, metia medo,tranformou-se num espaço seguro e feérico na sua pujante iluminação. Hoje quem circula pelo centro da cidade depara-se com um novo espaço bem iluminado e convidativo aos passeios nocturnos...passe por lá esta noite...



Osvaldo Castro

segunda-feira, outubro 03, 2005

A Nova Cerca,um exemplo de requalificação ambiental!



Agora que foram retirados os tapumes às obras da Cerca,dá para ver que está ali um novo espaço de vivência colectiva.
Trata-se, antes de mais, de uma excelente obra de reabilitação ambiental e de requalificação urbanística, que tem o mérito de conjugar uma nova centralidade de um espaço de convívio e lazer com o Museu do Vidro,o Arquivo Municipal e a Biblioteca. E no futuro, serão reforçadas essas ligações com a recuperação dos Jardins do Stephens, com a adaptação do Teatro Stephens a Auditório/Centro de Congressos e com o aproveitamento do velho mercado para a criação de um "empreendimento/âncora",vocacionado para o comércio,restauração, lazer e convívio,incluindo cinema.
E, se bem se reparar, a nova Cerca "aproxima" o Mercado Novo do centro tradicional,como logo se verá, após a inauguração deste.
Mas tudo o que saliento, nada é comparado com uma visita ao local.A frescura do lago,a extensão dos relvados, a zona de parques infantis diversificados, a "parede de escalada","a skate zone",o anfiteatro...
A Nova Cerca é uma boa surpresa e um complemento de excelência ao Parque da Cidade.
Ao fim da tarde,por exemplo, passe pela Cerca e verá como fica orgulhoso da sua terra...


Osvaldo Castro

Aí está a nova edição do Praça Stephens!

É o segundo número,agora dedicado ao "Programa de Acção do PS para o concelho da Marinha Grande".É de leitura indispensável para os eleitores que querem conhecer os compromissos e os projectos que o Partido Socialista apresenta aos munícipes marinhenses.
O Programa ocupa as páginas centrais, já que a primeira e a última são dedicadas a cada uma das freguesias,com edições naturalmente diferenciadas e com os respectivos Programas dos candidatos do PS às freguesias.
Com excelente arrumação gráfica e com fotografias alusivas a cada uma das freguesias,este "Praça Stephens" que,como o anterior,tem sido distribuído, mão a mão, aos eleitores,pode também ser solicitado na Sede de Campanha,na Avenida José Vareda.
Tendo em conta o êxito do anterior,já quase esgotado,desta edição é de esperar igual receptividade.
A edição da freguesia da Marinha Grande tem por título:"Freguesia da Marinha exige um novo impulso",a da Vieira:"Freguesia da Vieira quer mais progresso" e a da Moita:"Freguesia da Moita não pode parar".
A ler com atenção e a guardar, para se poder verificar que o que prometemos, é para cumprir!
Osvaldo Castro

domingo, outubro 02, 2005

Sintonizar a RCM,hoje,às 21 horas

É já hoje,2ªfeira,que a Rádio Clube Marinhense transmite,em directo,o debate entre os cinco candidatos à presidência da Câmara. Será o debate decisivo e último, nesta campanha eleitoral.
É de estar particularmente atento aos dois candidatos que,verdadeiramente,disputam a presidência,João Paulo Pedrosa e João Barros Duarte.
A ver vamos se, este último, se mantém na linha de desnorte crítico que tem caracterizado os seus debates com o candidato do PS.É que começa a ser tempo de falar do que tem para propôr aos marinhenses.A linha insistente de "bota abaixo" e de reprodução de calúnias e insinuações torpes,não me parece que lhe esteja a dar grandes resultados...
E quanto aos candidatos do PSD e BE talvez fosse bom que esclarecessem,duma vez por todas,porque fazem do PS o seu principal adversário.Será que desejam o regresso ao passado que o PCP apregoa,ou estão já a pensar em coligações de proveitos?
De todo o modo,só espero que o debate decorra nos níveis civilizados que os ouvintes da RCM esperam e merecem.





Osvaldo Castro

sábado, outubro 01, 2005

Tanta gente jovem e bonita!


A Colectividade de Casal Galego estava repleta de camaradas e amigos,mas com uma grande franja de gente jovem, a querer dizer que os destinos da Marinha Grande podem passar de mãos para uma nova geração de socialistas e independentes...É uma excelente notícia,especialmente para alguns de nós que palmilham estes caminhos há tantos e tantos anos.
E foi bom ter a companhia do Presidente Álvaro Órfão, que nos brindou com uma intervenção muito tocante,e mais, deu conta de estar a trabalhar pelo concelho, como se fosse o seu primeiro mandato.Brindou-nos com notícias que são o resultado da sua tenacidade até ao fim.Um abraço,Álvaro!
E o Leonel Silva produziu uma intervenção só possível a quem se prepara para liderar a Junta de freguesia da MªGrande.Pelo conteúdo programático,pelo conhecimento profundo dos problemas, dos lugares e do modo de os resolver,bem como pela sua afectividade com o eleitorado.Temos homem e equipa para ganhar a Junta.
E o João Paulo Pedrosa, que vem palmilhando quilómetros, com a sua equipa, por tudo quanto é lugar do concelho, em contactos com os eleitores,"deu o golpe de asa" e transformou-se num orador de excelente qualidade,com ideias muito arrumadas e com atenção certeira para os magnos problemas do futuro do município.
Tal como na Moita ou na Vieira, a freguesia da Marinha Grande também patenteou que quer dar o seu decisivo contributo para a vitória.
Vamos a isso...!Minuto a minuto,lugar por lugar,eleitor por eleitor,vamos divulgar as nossas propostas e os nossos projectos de servir a causa pública e os munícipes marinhenses.
Como algém lá dizia,isto "não são favas contadas"...é preciso trabalhar junto do sector do eleitorado que ainda hesita em ir votar...





Osvaldo Castro